As Peças Infernais - Anjo Mecânico

sexta-feira, novembro 27, 2015

Sou um grande admirador da Cassandra Clare. Quando li o primeiro volume da série Os Instrumentos Mortais (Cidade dos Ossos) eu me apaixonei, a autora me apresentou um universo incrível. Algum tempo atrás eu soube da existência de uma série que possuía o mesmo universo de Instrumentos Mortais, mas se passava em um lugar diferente e num tempo diferente. Foi só depois de algumas amigas terem lido a série As Peças Infernais (e de ver a reação delas durante o desenrolar da história e lançamento dos livros) que eu fui ficando curioso. Acabei ganhando de aniversário o primeiro volume (obrigado, Bela =D), Anjo Mecânico e como estava morrendo de curiosidade fui logo ler. A história me surpreendeu totalmente e aqui vai uma breve resenha.

Anjo Mecânico se passa na era vitoriana e conta a história de Tessa Gray, uma jovem que sai de Nova York e viaja até Londres para encontrar seu irmão mais velho. Ao desembarcar na cidade, a jovem se depara com duas senhoras que informam que seu irmão está a sua espera em uma casa. A partir daí, a vida de Tessa passa por uma grande mudança e muitas descobertas. 

Não, eu não quero dizer mais nada sobre o enredo. Podem até procurar em outros lugares, mas acho que saber mais acaba tirando alguns pontos fortes do livro. 

Como eu já tinha lido alguns livros da Cassandra Clare eu, honestamente, esperava mais das mesmas fórmulas que ela usa em Cidade dos Ossos e os outros volumes da série Os Instrumentos Mortais. Porém a autora acaba apresentando um enredo bastante inovador, com algumas reviravoltas, tudo bem amarradinho. A narração é feita em terceira pessoa, mas foca principalmente na Tessa e tem uma capacidade imensa de prender o leitor à medida que ela vai descobrindo as coisas do universo dos Caçadores de Sombras. Os personagens são o ponto forte dessa obra, muito bem construídos, a gente acaba pensando mais neles do que no desenrolar do mistério. Tem bastante ação e um final, ah esse final definitivamente fisga o leitor até a última página.

Senti falta da autora contar mais sobre a Londres vitoriana; o clima que a cidade emana, os aromas, as cores, essas coisas mais sensoriais. Outro ponto que achei um pouco negativo foi a forma como a autora conduziu a parte mais romântica. Creio que poderia ter sido algo mais lento(?) e natural, achei um pouco forçado. 

Porém, Anjo Mecânico é o início de uma série e acho que ela começou com o pé direito. Adorei os personagens principais (principalmente o Jem!) e mal posso esperar para ler os outros volumes. Super indico pelas grandes surpresas e pelo universo dos Caçadores de Sombras em tempos antigos. 



"Seja como você for fisicamente (...) homem ou mulher, forte ou fraco, doente ou saudável, tudo isso importa menos do que há em seu coração. Se tiver a alma de um guerreiro, você é um guerreiro. Independentemente da cor, da forma, do tom que a envolve, a chama do lampião permanece a mesma. Você é essa chama."

"Às vezes - disse Jem -, nossas vidas mudam tão depressa que a mudança é mais rápida do que nossas mentes e corações. É nessas vezes, acho, quando nossas vidas mudaram mas ainda sentimos falta do tempo anterior, que sentimos a pior das dores. Mas posso te dizer, no entanto, por experiência própria, que você se acostuma. Aprende a viver a nova vida e não consegue imaginar, ou sequer se lembrar, de como as coisas eram antes."

Conta aí o que achou da resenha e se você já leu esse livro! 

0 comentários

Mais Lidos

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

G+